Acidente estranho liga alerta na F1

06 set 2012                   1 Comentário Logo da Dinamicar Pneus

 

No domingo de 2 de setembro, aconteceu o grande prêmio da Bélgica em Spa-Francochamps. Logo na largada, Sebastian Grojean, da Lotus, num ato de imprudência, foi punido com a suspensão de um GP, a ser cumprido em Monza na Itália. Mas o fato que chamou a atenção foi o voo por cima da Ferrari de Fernando Alonso, que por pouco não atingiu a cabeça do piloto espanhol, remetendo à pergunta: A F1 é segura ou está com sorte?

Desde Senna, nenhuma fatalidade

 
Acidente na largada da corrida na Bélgica - F1 2012

Quando Ayrton Senna faleceu no GP de Ímola, em 1994, num domingo comum, a Fórmula 1 nunca mais foi a mesma. Foram inúmeras mudanças nos sistemas de segurança, como a adoção da célula de sobrevivência em fibra de carbono, onde o piloto se aloja durante a utilização do carro. Além disso, curvas perigosas e muros foram substituídos por áreas de escape, barreira de pneus e, em alguns lugares, paredes flexíveis.

O cockpit também mudou. Passou a ter proteção lateral, protegendo a cabeça do piloto contra impactos laterais, além de um santo antônio ainda mais rígido. Entretanto, a cabeça do piloto não recebe proteção contra impactos de cima para baixo, o que acontece, por exemplo, quando um carro voa por cima do outro. A ideia da FIA, então, é selar por inteiro o cockpit, como nos aviões de combate. Mas a preocupação de engenheiro e projetistas é quanto à aerodinâmica, que seria totalmente alterada.

F1 não assume os próprios riscos

 

Não há beleza na morte acidental, como a de Senna, que fez o Brasil chorar. Mas também é inegável que a Fórmula 1 é um esporte de risco, como qualquer corrida de carro, e que a dose certa de risco faz o interesse do público e dos próprios pilotos. Hoje está tudo tão rígido, que se fabricam circuitos sem emoção, pilotos sem sangue, incapazes de fazer uma troca de óleo, ou identificar uma pane, além de telespectadores prostrados frente à TV, seduzidos pelo passado, mas doidos para ver a corrida acabar.

Uma resposta para “Acidente estranho liga alerta na F1”

  1. Rafael Dias 111 disse:

    Não costumo fazer comentários em sites, especialmente de lojas. Porém, achei muito interessante essa colocação feita no final da matéria, que por sinal, retrata toda a nova geração.
    Em resumo, não se sabe nada sobre o carro que está pilotando. Até a arrancada/largada tem controle feito pelos engenheiros, castrando ainda mais a emoção das corridas pois uma das partes mais emocionantes de antigamente era a largada.
    Só o que falta mesmo é isso! Colocar teto/bolha nos carros.
    Triste.
    Rafael Dias

Deixe uma resposta

LEIA MAIS

caminhão emitindo fumaça

Confira novidades sobre e

A preocupação com o clima é levada cada dia mais a sério. Aqui no Rio de Janeiro, saiu o segundo inventário com o objetivo de controlar as.

pirelli pzero

Ruído nos pneus? Nunca ma

Andar de carro é cada dia mais confortável, e mesmo com a constante evolução das tecnologias envolvidas, algo que vinha incomodando a indústria eram os ruídos provocados.

Nissan kicks

Nissan Kicks: o que esper

Nesse mercado de SUV que se desenvolve todos os anos no Brasil, a Nissan, que tem tradição em carros de alto padrão de qualidade, está trazendo o.