Saiba quando trocar as velas de ignição

03 fev 2015                   0 Comentário Logo da Dinamicar Pneus

 

Alguns dos problemas mais comuns que acontecem com os veículos são ocasionados por falha na ignição, o que acarreta vários problemas como: falha na partida, consumo elevado de combustível, irregularidade no funcionamento, falhas durante retomadas e aumento nos níveis de emissão de poluentes.

Se o seu carro está apresentando esses problemas é ideal que procure imediatamente uma oficina especializada em manutenção veicular, para que o problema não se estenda para outras partes do motor.

Velas ignição

As velas são responsáveis pela queima dos combustíveis quando estão dentro das câmaras de combustão. Sua centelha dá inicio ao processo de explosão que impulsiona os pistões, provocando um movimento contínuo no motor.

 

Quando trocar as velas

 

Na maioria dos veículos nacionais, as velas devem ser inspecionadas em revisão periódica a cada 10.000 km. Essa inspeção é fundamental para obter um diagnóstico sobre o estado geral do motor.

 

Alguns sintomas e defeitos aparentes

 

Desgaste Natural

 

Percebe-se pelo aspecto do isolador, que fica com a base levemente marrom ou amarelada, o que indica desgaste natural.

 

Desgaste Natural Excedido

 

Velas que excederam o tempo de substituição, acarretam no desgaste excessivo do eletrodo central (corrosão), aumentando a distância entre os eletrodos, dificultando a passagem de energia fornecida pela bobina, o que torna insuficiente a produção da centelha. Solavancos no motor ao acelerar em ultrapassagens e subidas e demora na partida são alguns dos sinais.

 

Corrosão dos Eletrodos

 

Pode ser confundida com superaquecimento, devido ao derretimento dos eletrodos. É causada por agentes corrosivos encontrados em combustíveis e aditivos. Em alguns casos pode ser causada por combustíveis de má qualidade. Mesmos sintomas da vela com desgaste natural excedido.

 

Fuligem Preta (carbonização seca)

 

Caracteriza-se por uma fuligem preta e seca que cobre os eletrodos da vela. Pode ser ocasionada por falta de manutenção no filtro de ar, afogador com mau funcionamento ou com longo período de acionamento, combustível de má qualidade, carburador ou injeção desregulados, motor em baixa rotação por muito tempo, ponto de ignição desregulado e uso de velas inadequadas para o tipo de motor. Alguns dos problemas que podem ser apresentados são: dificuldade na partida a frio e motor falha em rotação de marcha lenta.

 

Sujeira Preta e Oleosa (carbonização oleosa)

 

Indica graves problemas no cabeçote do motor, em alguns casos é necessário recorrer a um serviço de retífica. Os eletrodos ficam cobertos por uma camada grossa de óleo e carvão, que podem caracterizar excesso de óleo de motor passando para a câmara de combustão, o que pode indicar desgaste ou defeito nos anéis do pistão ou nas guias de vávula.Os problemas são os mesmos causados pela fuligem preta.

 

Resíduos de Chumbo

 

Manchas amareladas em volta do isolador indicam grande concentração de chumbo, na maioria das vezes ocasionada por combustível de má qualidade. Falha na ignição em velocidades lentas pode ser um dos sintomas. Nesses casos aconselha-se abastecer com gasolina de boa procedência.

 

Outros Resíduos e impurezas

 

Pode haver acúmulo de resíduos “incombustíveis” na câmera de combustão (que não são queimados), visivelmente detectados, nos pistões, válvulas, cabeçote e na própria vela. Esse tipo de problema costuma ocorrer em motores com excessivo consumo de óleo e abastecidos com combustíveis de origem duvidosa. Limpeza e regulagem do motor podem solucionar. Perda de potência e danos no motor e cabeçote pode ser alguns dos problemas ocasionados.

 

Superaquecimento

 

Derretimento do eletrodo central, que pode ser ocasionado pelo uso de velas incorretas para o tipo do motor, sujeira na câmara de combustão, defeito nas válvulas, ignição desregulada, mistura pobre de ar e combustível, defeito no distribuidor e velas mal instaladas. Provoca perda de potência, falhas na centelha e danos gerais ao motor.

 

Eletrodo Central Fundido

 

Os sintomas são parecidos com o do superaquecimento, mas os danos ao motor neste caso podem ser maiores, comprometendo mais peças. Nesse caso é recomendado uma revisão completa do sistema de ignição e alimentação.

 

Eletrodo Central e Lateral Fundido

 

Neste caso a combustão deixa de ser por faísca e aalta temperatura provoca a rápida queima do combustível (incandescência), provocada pelo uso contínuo de velas inadequadas e combustíveis de má qualidade.

 

Isolador trincado ou quebrado

 

Pode ser ocasionado pela imperícia na instalação e uso de ferramental inadequado. Com o isolador quebrado, a centelha salta do eletrodo central direito para a carcaça lateral da vela, provocando falhas na partida e ignição

É importante a cada revisão periódica das velas, verificar se os cabos também estão danificados. Geralmente o desgaste ocorre devido ao contato com o motor quente, já que os cabos são feitos de borracha sintética ou silicone, que suportam altas temperaturas, mas em contato com o bloco quente do motor pode derreter, acarretando fuga de corrente que iriam para as velas.

Saiba mais informações sobre manutenção e revisão do seu veículo no blog da Dinamicar Pneus.

Deixe uma resposta

LEIA MAIS

caminhão emitindo fumaça

Confira novidades sobre e

A preocupação com o clima é levada cada dia mais a sério. Aqui no Rio de Janeiro, saiu o segundo inventário com o objetivo de controlar as.

pirelli pzero

Ruído nos pneus? Nunca ma

Andar de carro é cada dia mais confortável, e mesmo com a constante evolução das tecnologias envolvidas, algo que vinha incomodando a indústria eram os ruídos provocados.

Nissan kicks

Nissan Kicks: o que esper

Nesse mercado de SUV que se desenvolve todos os anos no Brasil, a Nissan, que tem tradição em carros de alto padrão de qualidade, está trazendo o.

PopUp Black Friday Dinamicar